O vereador Valdir Matias Jr. (PV), informou durante a sessão desta quarta-feira (13), a criação de um Projeto de Lei, que institui e inclui no Calendário Oficial de Eventos de Santarém, a Semana de Campanha Educativa ‘Alerta Juventude’, em todas as unidades escolares do município. Pela proposta do autor da matéria, o evento ocorrerá todos os anos, sempre na última semana do mês de agosto e englobará ações educativas voltadas à conscientização do público estudantil sobre temas como combate às drogas, tabagismo, gravidez precoce, prostituição infantil, Aids, violência, bullying, entre outros temas que preocupam a comunidade escolar. O parlamentar reforçou que todas as atividades serão desenvolvidas em parceria com órgãos que trabalham com a criança e a juventude.

Ao fazer uso da tribuna da Casa, o líder do PV lembrou do massacre de Suzano (SP), quando dois jovens invadiram a Escola Estadual Raul Brasil, na manhã desta quarta-feira, mataram sete pessoas e cometeram suicídio em seguida. Antes do ataque, eles assassinaram o proprietário de uma loja na região. Os assassinos, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Henrique de Castro, de 25, eram ex-alunos do colégio. Também há registro de nove feridos. Entre os mortos estão a coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Vieira Umezo, e a agente de organização escolar Eliana Regina de Oliveira Xavier.

Matias Jr. lamentou o episódio e disse que a esta triste tragédia reforça a necessidade de medidas que garantam a segurança dos estudantes no ambiente escolar, tanto para alunos quanto para funcionários. Segundo ele, o seu projeto, protocolado no dia 11 de fevereiro, e já tramitando nas comissões pertinentes da Casa, vem ao encontro com esses acontecimentos que colocam em risco a integridade de estudantes e professores. “Como pai e cidadão, manifesto meu pesar às famílias das vítimas dessa brutalidade e reforço a importância deste projeto como mais uma ferramenta para ajudar na prevenção das nossas crianças, dos nossos jovens e dos nossos professores. Por meio de palestras educativas, de ações que orientem a comunidade escolar para temas que hoje rondam nossas escolas, como a violência, o tráfico de drogas, a prostituição, a gravidez precoce e o bullying”, justificou o primeiro vice-presidente do Poder Legislativo na apresentação do projeto no plenário da Casa.