Por maioria de votos, a Câmara de Vereadores de Santarém derrubou o veto do Poder Executivo ao Projeto de Lei de autoria do vereador Valdir Matias Jr. (PV), que cria o Dia Municipal do Artesão. Após ser lida pela Mesa Diretora e colocada em votação do plenário, a matéria foi rejeitada por 16 votos a 1, com quatro vereadores ausentes, permanecendo, portanto, o parecer do relator, vereador delegado Jardel Guimarães, relator da 2ª Comissão de Finanças, Contas, Constituição, Justiça e Redação, contrário ao veto.

O Projeto de Lei que institui o dia 19 de março como o Dia Municipal do Artesão foi aprovado pelo Poder Legislativo no dia 8 de abril e seguiu para a sanção do prefeito Nélio Aguiar. Porém, retornou à Casa com veto parcial contrário. Após passar pela análise do setor jurídico da Câmara, o veto foi discutido na sessão desta quarta-feira (19), e foi derrubado pelos parlamentares.

Valdir Matias Jr. agradeceu aos colegas pela rejeição do plenário ao veto do Executivo e comemorou o resultado, uma vez que o PL reforça a importância dos artesãos para o município de Santarém, sobretudo no fomento dos segmentos da cultura, do turismo e principalmente da economia.

A lei será promulgada e publicada no Diário Oficial do Município nos próximos dias.

Atualmente, mais de 600 famílias em Santarém estão envolvidas diretamente com o artesanato, produzindo peças que são comercializadas no Cristo Rei – Centro de Artesanato do Tapajós, Centro de Atendimento ao Turista (CAT), em Alter do Chão, e no Terminal Fluvial Turístico (TFT), na orla da cidade. O artesanato impulsiona uma importante cadeia produtiva na economia do município, gerando renda e emprego para muitas pessoas, cooperativas, associações de moradores, grupos de mães e artistas autônomos que vivem exclusivamente da confecção de obras feitas a partir de matéria-prima extraída.