Se por um lado, Alter do Chão, em Santarém, no oeste do Pará, tem motivos de sobra para comemorar os bons resultados no setor turístico, por outro, a vila balneária mais famosa do interior da Amazônia sofre com problemas relacionados ao fornecimento de energia elétrica. Diante do crescimento populacional e do número cada vez maior de imóveis particulares, e estabelecimentos comerciais, além do fluxo intenso de pessoas, a energia que abastece o distrito não tem sido suficiente para suportar essa demanda. No último fim de semana, mais uma vez, a vila sofreu com a oscilação de energia, que afetou o setor hoteleiro.

Hotéis e pousadas de Alter, que estão com suas capacidades quase esgotadas neste período de alta do turismo, registraram queda de fase por um longo período. Um transtorno para os hóspedes e prejuízos para comerciantes e comunitários também.

Diante desse problema recorrente, a Associação dos Empreendedores do Turismo de Alter do Chão (Aeta), por meio de seu presidente, o empresário Pedro Paulo Buchale, articulou uma reunião com representantes da concessionária de energia elétrica em Santarém para tratar especificamente dos transtornos e prejuízos causados à comunidade com a queda constante do fornecimento de energia na vila. O encontro ocorreu nesta terça-feira (19), na sede da empresa e contou com a presença de Clécio Silva, Executivo de Manutenção da Regional Oeste da Celpa, Erasmo Maia, Chefe de Gabinete da Prefeitura de Santarém, vereador Valdir Matias Jr. (PV), vice-presidente do Poder Legislativo, Cleber Costa, administrador de Alter do Chão, além de Carlos Albuquerque, Executivo de Estudos Operacionais, Luiz Henrique, Executivo de Operação e Heldo Samuel, Engenheiro da Área de Estudos Operacionais, que participaram da reunião por meio de vídeoconferência.

Na ocasião, foram relatados os principais transtornos e prejuízos causados pela queda de energia na comunidade. Além disso, a reunião serviu para que os executivos da Celpa tomassem conhecimento de dados relacionados ao aumento populacional da vila, bem como de informações sobre o surgimento de novos imóveis e empreendimentos, que estão sendo construídos no entorno de Alter e que são consumidores não identificados da concessionária.

.
Para o representante dos empreendedores de turismo de Alter, a reunião foi bastante produtiva e ele saiu do encontro com a certeza de que essa demanda terá a atenção prioritária da Celpa, sobretudo pela importância social, turística e econômica de Alter do Chão para os próximos anos. A vila foi apontada recentemente como o destino preferido dos turistas brasileiros para 2020. Isso significa mais consumo de energia por causa do fluxo de pessoas visitando o ‘Caribe Amazônico’ no ano que vem. “No último fim de semana, houve uma queda de tensão muito violenta, que paralisou o funcionamento de vários equipamentos, principalmente os aparelhos de ar- condicionado, o que causou enorme desconforto para os hóspedes, principalmente à noite. Nós já temos uma parceria muito boa com a Celpa e essa reunião serviu para uma busca de solução para problemas como esses, que têm sido recorrentes na vila. Nós saímos daqui com a certeza de que teremos soluções imediatas. Nossa maior preocupação agora é com o Réveillon, que está chegando e haverá um grande consumo de energia nesse período. O problema é mais grave porque Alter do Chão cresceu muito, tanto na parte populacional como em empreendimentos entrando lá. Isso significa aumento do consumo também. É preciso que seja revisto que consumo é esse para adequar à nova realidade de Alter do Chão e evitar esses danos e desconfortos. Esses encontros são sempre positivos e desta vez, temos a certeza que teremos uma resposta positiva da Celpa”, disse Pedro Paulo Buchale.

Para o vereador Valdir Matias Jr., que esteve representando a Câmara de Vereadores de Santarém, devido a importância de Alter do Chão para o turismo na região, faz-se necessária a busca por soluções para um problema que vem se repetindo a cada ano. Antes, ocorria muito em grandes eventos, mas essa sazonalidade já não existe mais porque Alter é visitada diariamente por turistas de várias partes do país e do mundo, independentemente do período do ano. “Do ponto de vista do turismo, a energia é importante para os empreendedores que atuam no setor, tanto no hoteleiro, quanto de serviços. A reunião foi produtiva e ficou claro o interesse da concessionária em atender essa demanda”, disse o parlamentar.

O Chefe de Gabinete da Prefeitura, Erasmo Maia, por sua vez, afirmou que o Poder Público Municipal também terá papel importante nesse processo na busca ativa de imóveis e demais empreendimentos que estão sendo construídos sem o devido acompanhamento dos órgãos competentes. “Esse é um problema que afeta Santarém e diante desse histórico, nós entendemos que é o momento para a união de forças, envolvendo a Celpa, os empreendedores, os órgãos municipais, buscando soluções a curto, médio e longo prazo. A curto prazo, diante dos encaminhamentos apresentados nessa reunião, o município fica com a responsabilidade de levantar o que está sendo construído em Alter do Chão, quais são os empreendimentos que estão sendo erguidos lá e o que temos de Poder Público planejado para esses anos para a vila. Vamos fazer uma busca ativa desses imóveis que estão sendo erguidos, não apenas no espaço de Alter, mas em outros ambientes que também consomem energia elétrica, uma vez que muitos desses empreendimentos são construídos de forma clandestina, sem autorização da Prefeitura. Então, nesse sentido, vamos fazer essa busca ativa, chamar as secretarias para compor essa força-tarefa em conjunto com a Celpa para juntos solucionarmos esse problema da energia em Alter do Chão. Independente disso, é nosso interesse total dar uma solução para essa demanda porque a vila está na rota do turismo para os próximos anos. Nós temos que nos antecipar a essas questões e resolver de uma vez por todas o problema da energia”, disse Erasmo Maia.

O representante da Celpa, Clécio Tabaranã Silva, lembrou que muitos investimentos foram feitos ao longo dos anos na melhoria do fornecimento e qualidade da energia de Alter do Chão. Desta vez, segundo ele, não será diferente. E como proposta, informou que serão feitos estudos técnicos com base nos dados que foram repassados à Celpa pelos representantes dos empreendedores e da vila. “Da parte da Celpa, logicamente que há uma preocupação muito grande em resolver esse problema para evitar que isso volte a acontecer. Nós nos propomos a fazer estudos para verificar o que precisa ser feito estruturalmente no circuito que atende aquela região. Vamos fazer a curto, médio e longo prazo para que a gente melhore esse atendimento à comunidade, evitando transtornos, principalmente nos maiores eventos que são pontuais na região. Nós vamos estudar com base nas informações que temos em nossos registros das subestações, o perfil de carga, o reflexo dessa demanda no sistema e avaliar se há alguma modificação a fazer no sistema de atendimento. Temos alguns equipamentos ao longo do circuito que atende Alter do Chão, que fazem correção do nível de tensão para atendimento da vila. Então, esses estudos vão nos mostrar se há a necessidade de fazer correção ou ajuste desses equipamentos, ou implantação de novos. Isso sem dúvida nenhuma será feito antes do final do ano”, afirmou.